quarta-feira, 6 de outubro de 2010


Você pode embebedar o corpo com o álcool.
Mas para embriagar a alma e o coração é preciso uma droga mais forte:
uma dose de sentimento.
Basta.
Se, sob efeitos colaterais, o coração apertar,
a alma reclamar que o álcool e essa droga maior não estão a surtir efeito,
suplicar uma droga mais forte ainda,
eu diria:
submerja seus olhos em ébrias-inocentes doses de lagrimitudes.

Depois vem a ressaca.
E só há um antídoto:
Paix.

7 Comentários *=):

@lipenask disse...

só não vale aposentar o devaneio !!

rayfarias disse...

"se quer tamanho eu vou despir a alma"



é ter na mente paix *-*

Inaldo disse...

se o álcool não conseguiu embreagar nem a alma nem o coração é pq vc bebeu pouco!
fato!
kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Inaldo disse...

por falar em álcool me bateu uma vontade súbita de tomar uma gelada!!!
e ai vamo ou bora ?
uahsuausausau

André disse...

Eu sugeri outra solução para o caso. Uma bela "bala" no meio da testa. Hahaha. Uma bala que troca de lugar céu e terra pra fazer ruir todo e qualquer esforço de linguagem que construa o mundo. Pra demolir sujeitos e não restar pó e aí sim sentirá a pior das sensações possíveis ao "drogar" a alma. A questão é que existem pessoas - a grande maioria - que não é capaz de tomar tal psicoquímica e sair ilesa, mergulha e não volta a emergir, nunca mais...

Não existem antídotos, só novos venenos.

:D

Bianka disse...

o alcool ou a tal droga tem efeito passageiro, o problema será ao amanhecer a ressaca moral e o desconforto ao ver tudo isso voltar

Malu disse...

Muito lindo seu blog ,Bárbara.


Bjo.

Postar um comentário